*Mensagem Nº 19* – 24/08/2017

Escolhemos para esta 2ª postagem de agosto, mês no qual, no Brasil, se comemora o *DIA DO PSICÓLOGO*, mais um tema pertinente ao dia a dia do consultório psicológico, o tema da vez é *LOGOTERAPIA, PSICOTERAPIA E COGNITIVISMO EXISTENCIAL*.

Selecionamos um excelente artigo do Prof. Aureliano Pacciolla, intitulado *LOGOTERAPIA E PSICOTERAPIA: POSSIBILIDADES E DESAFIOS DO COGNITIVISMO EXISTENCIAL*.

Partilhar este artigo em nossa lista de transmissão é duplamente razão de contentamento, pois em 18/10/2015, o 1º evento internacional promovido pelo *Núcleo de Logoterapia AgirTrês* contou com a presença de nosso querido amigo e mestre, o Prof. Aureliano Pacciolla, que na mesma ocasião, lançou seu 1º livro traduzido para o português –  Psicologia contemporânea e Viktor Frankl: Fundamentos para uma psicoterapia existencial, Editora Cidade Nova.

“A química pode equilibrar o humor, mas não cura a depressão.
Não há uma molécula química que dê sentido à vida.
Encontrar o sentido da vida é uma questão pessoal.” (Aureliano Pacciolla)

Na ocasião, nosso evento foi notícia no blog do site da ABLAE, Associação Brasileira de Logoterapia e Análise Existencial: http://ablae.org.br/blog/pacciolla-em-sp-para-encontro-do-agir3-nucleo-de-logoterapia

Quer assistir o vídeo do evento? Clique aqui e veja o que aconteceu por lá!

https://www.youtube.com/watch?v=hPWJveW0F6A

SOBRE O AUTOR

Aureliano Pacciolla. Formado em “Psychological Counselling” em Innsbruck, numa das afiliadas da Associação Europeia de Terapia Comportamental, e Doutor pela Pontificia Università Lateranense, com a nota final de Magna cum Laude. Um dos mais renomados Logoterapeutas e Analistas Existenciais conhecidos. Autor de cerca de cinquenta artigos científicos, co-autor de 11 livros e autor de outras 8 publicações, o seu mais recente livro intitula-se DSM-5 e Temi Esistenziali [em português, DSM 5 e Temas Existenciais]. Atua hoje como Professor de Psicologia Geral, Psicologia da Personalidade e Psicoterapia em Universidades e Instituições diversas como o Instituto Beck, a Cooperativa Europa, ou a Scuola Transazionale. É supervisor clínico de casos, e Perito do Tribunal Civil, Penal, Juvenil da cidade de Roma.

RESUMO

Gostaria de tentar acolher as “sementes de humanismo” oferecidas pelo DSM-5 para responder à pergunta: a psicoterapia Cognitivo-Comportamental pode ser integrada à Análise Existencial proposta por V. Frankl? Partirei da abordagem humanístico-existencial para verificar a possibilidade de integrar a psicoterapia Cognitivo-Existencial à Análise Existencial. Esta poderia ser uma premissa para responder à seguinte pergunta: a psicoterapia Cognitivo-Existencial pode ser integrada à Análise Existencial? Uma resposta afirmativa poderá vir não só da especulação e da pesquisa mas também da relevância dos temas de vida em toda psicoterapia eficaz e em particular na psicoterapia cognitiva. Na conclusão procurarei evidenciar como uma abordagem Humanístico-Existencial na psicoterapia é a mais indicada nos casos clínicos graves e gravíssimos. Quando a pessoa duvida do primeiro valor – do valor da vida e da sua vida – justamente nestas ocasiões é absolutamente indispensável uma psicoterapia que ajude a reencontrar um sentido e um propósito para a própria existência. Esta abordagem pode ser a de uma integração entre o Cognitivismo e a Análise Existencial de Frankl.

Para ler o artigo completo acesse nosso blog no link a seguir:

http://periodicos.ufpb.br/index.php/le/article/view/21441/12188

Publicado em: LOGOS & EXISTÊNCIA – REVISTA DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE LOGOTERAPIA E ANÁLISE EXISTENCIAL 3 (2), 119-136, 2014

Aproveitem cada momento desta leitura e reflitam sobre os aspectos apresentados!

Abraços e até breve!

Simone Guedes